11 de maio de 2016

Resenha: Como eu era antes de você


Tradutora: Beatriz Horta
Ano: 2013
Páginas: 320
Editora: Intrínseca
Classificação: ♥♥♥♥♥

★ ) Favorito  



Sinopse: Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

Podemos observar duas coisas nas resenhas aqui do Fala Viel a primeira é que eu a-m-o a Intrínseca e a segunda é que eu s-e-m-p-r-e leio os livros anos depois do auge de vendas. rs

Resumindo Como eu era antes de você em uma palavra: Maravilhoso! Gostaria de tê-lo lido muito antes, a história é inspiradora e tocante.
Se o que você procura é um livro feliz, sobre finais felizes, cura e romantismo eu já alerto: Procure outra leitura. Comecei ler o livro um pouco antes dos trailers do filme serem divulgados na internet e viralizarem nas redes sociais, quem me acompanha aqui sabe que eu sempre prefiro ler os livros antes de assistir aos filmes e com esse não poderia ser diferente. E fico imensamente feliz de ter feito a leitura, sei que muitos detalhes serão cortados no longa.

O livro entrou para a minha lista de favoritos logo nos primeiros capítulos e isso é bem raro de acontecer, geralmente eu preciso ler até metade do livro pra saber se vou ama-lo ou odiá-lo, a historia me marcou e me tocou rapidamente. Grande parte desse apreço se da pela minha grande identificação com a personagem Lou.

Lembro-me de em 2013 ver o livro estampando as vitrines das livrarias e de pensar como aquela capa tão simplicita e uma sinopse tão cheia de detalhes poderiam guardar uma história incrível e sinceramente não entendo porque não o comprei e demorei tanto para enfim me dar a chance de aprender tanto e me apaixonar por esse livro.

Dificilmente me emociono com livros, acho que isso aconteceu em duas oportunidades em: A estrela que nunca vai se apagar e em Extraordinário mas, com Como eu era antes de você foi muito mais profundo, dolorido e reflexivo.
Franz Kafka tem uma frase que define bem as sensações desse livro, que é a seguinte:"Queremos livros que nos afetem como um desastre. Um livro deve ser como um machado diante de um mar congelado entre nós". Ao contrario do que muita gente pensa ao ler a sinopse Jojo Moyes não trata apenas da renuncia, da doação e da morte, mas fala também em esperança, amor e de quantas oportunidades a vida nos abre e que devemos abraça-las.

Will era um homem extremamente ativo, adorava viajar e praticar esportes radicais. Mas, sua vida muda completamente em uma manhã chuvosa quando se encaminha para o taxi que o levaria para o trabalho, ao atravessar a rua é atropelado e fica tetraplégico.
Louisa tem 26 anos e descobre que o café onde trabalha irá fechar, vê-se desempregada e aceita o emprego de cuidadora para um deficiente, que não é ninguém menos, ninguém mais que Will. Assina um contrato de seis meses de trabalho sem ter nenhuma experiência na função que exerceria. É exatamente neste período que a vida de ambos muda para sempre.

A narrativa é muito detalhada e aborda assuntos delicados, de maneira sensível Jojo construiu uma história de forma muito real, mostrando as dificuldades e limitações da vida de um tetraplégico. Will não aceitava sua nova condição de vida e Lou o ensina que é possível viver bem diante das suas limitações. É um tema de muita reflexão, quantas historias não vemos na Tv de pessoas que perderam o gosto de viver ou, pessoas que ao contrário disso fizeram das suas dificuldades e limitações historias vitoriosas e de muita garra. Atletas, músicos, mochileiros, palestrantes, professores e tantas outras profissões espalhadas por ai exercidas por seres humanos que poderiam estar jogados em uma cama lamentando sua condição. O livro retrata bem o quanto é humilhante algumas situações para pessoas nestas condições: A dificuldade para se locomover e chegar até os lugares, o olhar das pessoas com pena e até mesmo pessoas preconceituosas.




Will era sarcástico, mau humorado, reservado e havia deixado de lado toda a sua vaidade. Lou era seu oposto, mas vivia uma vida monótona sem grandes aventuras. É lindo ver como um mudou a vida do outro sem perceberem. Will ensina a Louisa o quanto é importante aventurar-se, arriscar e mudar. Lou mostra a Will como a vida é cheia de esperança, levou-o a lugares, mostrou possibilidades de uma vida feliz apesar de sua condição. O amor chega para eles de uma maneira pura, verdadeira e intensa. É lindo e dói.
Eu chorei em vários momentos do livro. Chorei porque queria que Will conseguisse superar as dificuldades e viver aquele amor. Chorei porque me vi muitas vezes na vida descrita de Lou. Chorei porque fiquei feliz com as mudanças da vida deles, enfim, chorei feito um bebê.

Se eu pudesse dar um único conselho para a sua vida, esse conselho seria:leia, leia e leia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link do seu blog - créditos

Tema Base por Butlariz