16 de março de 2016

7 razões para amar e admirar Frida Kahlo | Fala, Viel - Por Thamires Viel |


Acho improvável que você não saiba quem foi Frida Kahlo, mesmo que a conheça apenas pela monocelha ou pelas marcantes flores na cabeça. Mas, caso você não a conheça fica aqui um breve resumo:


Frida deixou um grande legado para as mulheres, símbolo de força e independência do universo feminino, estava muito à frente de seu tempo. E apesar das mais de 30 cirurgias e um casamento conturbado continuava cheia de vida.

Nunca se deixou sucumbir pelos padrões de beleza impostos em sua época. Criou seu próprio estilo, criando um personagem único. Aceitou os aspectos do seu corpo - especialmente a sobrancelha unida e o buço -, adotou longas saias no estilo tehuana para esconder que uma de suas pernas era maior que a outra e mais finas (sequela da poliomielite que teve aos 6 anos), corseletes e até com coletes de gesso que precisava usar por causa dos problemas de coluna que conviveu a vida inteira após um acidente de bonde aos 18 anos.

Descubra 10 motivos para amar Frida Kahlo

“A coluna partida”, de Frida Kahlo ©Reprodução

1- Uma vida de dores

A artista mexicana teve a vida marcada por uma série de doenças, operações e um acidente grave, e ela não se deixou abater, transformou sua dor e traumas em quadros.

Aos seis anos teve poliomielite, que deixou a perna direita mais curta que a esquerda e mais fina. Os colegas a apelidaram de "Frida pata de palo" ("Frida perna de pau"). Aos 18 anos sofre um acidente de bonde sofrendo múltiplas fraturas e precisou fazer 35 cirurgias.


Passagem descrita no livro " Frida- A biografia"

"Por eu ser jovem", ela disse, "o infortunio não assumiu o caráter de tragédia: eu sentia que tinha energias suficientes para fazer qualquer coisa em vez de estudar para virar médica. E sem prestar muita atenção, comecei a pintar."


©Museu Oscar Niemeyer/Reprodução - foto de autoria anônima

2- Era um prodígio

Se você tem alguma pretensão artística, mantenha a esperança. Ao contrario de muitos pintores que demonstram sua aptidão desde muito cedo, Frida só começou a pintar quando se viu presa à cama após o acidente. Usando um cavalete adaptado à cama e as tintas do pai, que pintava por hobby.

3- Rainha das Selfies

O pai Guillermo era fotógrafo profissional e mantinha o hábito de se fotografar, algo que influenciou a filha mais tarde em suas obras.
Frida pintou diversos autoretratos, sempre colocando na tela seus problemas, seus amores, cotidianos e temores.

"Pensaram que eu era surrealista, mas nunca fui. Nunca pintei sonhos, só pintei a minha própria realidade."

Frida Kahlo e Diego Rivera

4- Escolheu viver um amor cheio de defeitos

Casou-se em 1929 com Diego Rivera, muralista mais importante do século XX e também pintor. A relação era conturbada e recheada de traições, mas Frida era loucamente apaixonada pelo marido.
Tinha o sonho de ser mãe e ter uma familia completa com o marido, mas sofreu três abortos. 

"Diego está na minha urina, na minha boca, no meu coração, na minha loucura, no meu sono, nas paisagens, na comida, no metal, na doença, na imaginação."

5- Fez dos defeitos seus pontos fortes

Apesar do mal-estar com o corpo e de usar roupas que camuflavam os problemas físicos, fazia da forma de se vestir uma maneira de manter o bom humor e para continuar sentindo-se feminina, com roupas coloridas e cheias de flores.

Ela era dona de uma essência livre e paradoxal. Tentava extrair o melhor das dificuldades, encarando muitas de suas dores e frustrações de frente.

A frase que ilustra perfeitamente isso: “Pés, pra que os quero se tenho asas para voar”. Triste, porém linda, né?

6- Idealista

Era ligada ao Partido Comunista Mexicano e independentemente de você concordar com o posicionamento dela, era de se admirar a força com que defendia o que acreditava.

7- Bem sucedida

Por muito tempo a artista acreditou que suas obras não eram boas o suficiente, por tratar-se de retratos de suas dores e angustia. Não sabia quantas outras dores ela também representava.
Frida expôs seu trabalho nos Estados Unidos e França e foi a primeira latino-americana a vender um quadro por U$1 milhão

Sua historia foi dura mas cheia de conquistas. A representação de uma mulher que apesar da vida conturbada, revelava sua beleza através do defeitos e de seus sofrimentos.
Uma grande inspiração para muitas de nós. ♥



Siga o blog em todas as redes sociais
No instagram ♥ | No facebook ♥ | No twitter ♥ |


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link do seu blog - créditos

Tema Base por Butlariz