14 de dezembro de 2015

A geração dos Recalcados

É comum que durante o dia eu abra o youtube e deixe rolar algumas palestras, no geral são sobre filosofia, teologia, espiritualismo e comportamento. Sempre fui dessas que adora agregar conhecimento e novas perspectivas de vida. Pessoas inteligentes me fascinam e me inspiram.

Numa dessas tardes, deixei rolar uma palestra do Leandro Karnal com o tema: 7 pecados capitais - A inveja a e tristeza sobre a felicidade alheia. A palestra foi exibida em outubro de 2014 no programa Café Filosofico CPFL Cultural.



A palestra tem 52 minutos, em determinado momento Leandro dispara: 
" Eu me surpreendo muitíssimo ao ter contato com pessoas a quem a natureza foi avara quanto a beleza física,à contato com pessoas a quem os bens materiais são escaços, essas pessoas que as vezes me dizem: Eu sou alvo de muita inveja.
Eu penso: Mas, do que? O que pode ser invejável nessa pessoa? Deve ser algo muito secreto, porque o que aparece não é invejável, deve ser algo que vestido não se possa contemplar.
A maioria das pessoas se considera invejada, mas não invejosa."

Ta, mas por que estou falando tudo isso? Explico.
As redes sociais vieram para potencializar o poder do "eu". As pessoas passam horas e horas dedicadas a ganhar o maior numero de curtidas em suas fotos e posts. Saem discursando e opinando sobre todos os assuntos, sem nem ao menos prestar atenção no que se é dito, unica e exclusivamente para ganhar uma curtida a mais e preencher um vazio pessoal. afirmando que a sua vida vale a pena ser vivida mesmo que intimamente nem ela mesma acredite nisso.

Na vida tenho apenas duas certezas: A morte e a acusação de recalque - mesmo que sem motivo aparente.
Virou um saco, toda argumentação resulta no tal do recalque. É o hino da geração X - que na minha opinião deveria ser chamada de geração B, de burros - por opção -.
Não gostou da minha foto? Recalque. Não curtiu minha foto? Recalque. Postou no facebook uma indireta, a carapuça me serviu? RE-CAL-CA-DA. Pior que isso, só quando o termo inimiga entra em ação.



Citam desesperadamente Valeska Popozuda como se Beijinho no ombro fosse uma nova obra de Charles Bukowski. Alimentam o ego de uma auto estima e um exercito de invejosas, recalcadas, inimigas que na maioria das vezes nem lembram da existência da invejada em questão.
Só por que você tem um problema com a pessoa, não necessariamente a reciproca é verdadeira. No geral as pessoas nem são tão interessantes a ponto de despertar a inveja alheia.

Os meus amigos repetem constantemente: você nunca acha que o problema é com você, mesmo quando está escancarado e só falta ter seu nome em negrito e letras em caixa alta.
Exato. Ao menos que a pessoa se dirija diretamente a mim não vou vestir carapuças que vão pesar sob meus ombros uma carga negativa desnecessária.

Recalque é para quem não tem argumentos. Nem toda critica é recalque. Nem todo mundo precisa cair de amores por você, as vezes sua energia não bate com a da outra pessoa e isso nada tem a ver com recalque. Pessoas que consideram todo mundo sua inimiga é inimiga dela mesma.

Inclusive: Beijinho no ombro pro recalque passar longe.

Emane bons sentimentos. Boas energias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link do seu blog - créditos

Tema Base por Butlariz