26 de novembro de 2015

Terceira pessoa do singular



Pensei e repensei muitas e muitas vezes antes de escrever cada linha aqui. Não que eu ache que você não mereça a atenção e o mimo de ter um texto inteirinho escrito para você, mas é que desde o dia em que você cruzou meu caminho procuro na minha pequena lista alguma palavra que consiga definir você.  Mas depois de uma exausta sessão de reflexão, desisti. Não quero definir você, pelo menos não agora, não ainda. - FODA é assim que você se autodefine. -

Você me perguntou olhos nos olhos qual o seu maior defeito, calada permaneci porque ainda não encontrei e isso não significa que te acho perfeito; longe disso, tenho a plena consciência de que o defeitos mais cedo ou mais tarde vão aparecer, tanto os seus quanto os meus.

Você com essa sede de viver e beber tudo em uma golada só, atropela a minha mania de calmaria, delicadeza e fazer as coisas devagar,uma a uma. Não me importo, você me empurra e eu te seguro.
Complementares, talvez assim seja a maneira correta de nos definir, mas acho cedo demais para falar sobre nós ou definições. Para falar a verdade acho cedo para tudo, cedo para estar escrevendo sobre você mesmo sem citar em momento algum quem você realmente é.

Quando disse da maneira mais doce o quanto acha importante tudo isso permanecer assim, meio secreto, meio 'todo-mundo-já-sabe' mas vamos fingir que não, fiquei desconfiada mas depois entendi que realmente é melhor.Descoberta, intimidade, conquista e tempo.
Eu já te contei que tempo é minha palavra preferida? Não? Pois é. Tempo e conquista são duas coisas das quais precisamos agora.

De vez em quando me pego pensando o quanto teria sido bom ter cruzado com você antes de todos os nossos traumas, nossas desconfianças e decepções, mas isso tudo fez parte do nosso aprendizado enquanto pessoas que entregam-se demais ou que simplesmente dão-se a chance de amar, confiar e respeitar. O preço talvez seja alto, acho que paguei caro algumas vezes por escolha minha.

Mas eu não posso deixar de lembra-lo sobre todos os sorrisos que você é capaz de tirar dos meus lábios em uma noite, apesar do medo em estar assim tão deliciosamente próxima de alguém devo confessar que você torna isso mais fácil. Sintonia, é o que temos.
Nunca soube guardar segredos tão bons quanto você e eu, mas esse é um segredo-não-secreto que faz bem ao ego, nesse momento entendo que você tinha mesmo que entrar em cena só agora.

E antes que isso aqui pareça uma declaração de amor - ou paixonite - vou logo alertando que deixo essas duas coisas para bem depois, por enquanto quero você aqui perto, simples assim. Só perto.Com o doce sabor de novidade, onde tudo ainda é puro. Sem brigas, desconfiança, pegação no pé e todas aquelas coisas que as pessoas atribuem à uma relação.

Você me faz bem e eu alimento seu ego de vez em quando e por enquanto isso basta.
Ficamos combinados assim, seremos o aconchego um do outro, o simbolo de carinho e atenção, o hoje e quem sabe um dia o amanhã. Seremos assim, simples.

Um beijo, daquela que sorri ao dizer seu nome.

*** Texto de Julho de 2010 - revisado 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link do seu blog - créditos

Tema Base por Butlariz