6 de novembro de 2015

Essa porta não se fecha - Uma historia de amor

by: Raymond Leech


Nossa historia é rodeada de música e poesia, de ao luar do Vicente Celestino á o anjo mais velho do Teatro Magico. Somos traduzidos em belos versos, completos de reticências.
Somos o amor de Platão em "O banquete": maior que simples impulsos instintivos, é um sentimento genuíno tão amplo e universal que embora, comece com o amor pela forma bela, termina como o amor pela própria beleza. Mas também somos o amor platônico descrito no século XV: centrado na beleza do carate e na inteligência, sem importar os atributos físicos.

Um amor que nasceu destinado a conviver com com um substantivo abstrato, tão abstrato que só existe na linga portuguesa: Saudade. Quase uma década de sentimento regido pelo bem querer e a distância dos corpos. Desde o primeiro beijo fadado a conviver com a falta dos abraços e beijos diários.
Você lá e eu aqui, sempre foi assim, nunca pudemos ser "nós" por completo. Sempre houve duas vidas distintas que só se cruzam e se ligam por um fio, que resiste ao tempo e se fortalece. O fio do amor.

Filosofia e tecnologia talvez sejam os únicos gostos que temos em comum, sempre fomos opostos e complementares.Você da noite, da rua, das viagens. Eu, de casa, dos livros, das músicas, dos vinhos e filmes. Mas juntos nós somos tudo isso ao mesmo tempo e funciona.
Nossos olhos conversam, uma levantada de sobrancelha e você já sabe meu incomodo, um suspiro e eu já sei o que você quer jantar. Nossos corpos entrelaçam, encaixam e exalam a virilidade, o tesão e a sintonia.

A falta que é maior que a saudade, hoje decidiu me visitar.Tive você nos sonhos a noite toda, o sorriso lindo de sempre e a voz doce e calma. Acordei e ainda faltam 20 meses pro retorno.
Confiança: no amor, na historia, no sentimento e em Deus. Tudo há de dar certo e o fio que nos une continuará firme até que possamos unirmos novamente. Até que seu peito seja meu melhor travesseiro, seu brigadeiro e a minha pipoca sejam nossas companhias de um sábado a noite frio.

Aqui você sempre terá pra onde voltar. Haverá sempre alguém para ouvir suas historias e piadas.Um lar chamado coração que pulsa de saudade.
Adeus não, até logo, até já.

Um beijo, daquela que sempre será sua!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link do seu blog - créditos

Tema Base por Butlariz