24 de novembro de 2015

A ansiedade Palmeirense



Somos todos pessimistas, desacreditados, corneteiros. Somos Palmeiras. Todos repetem: o Santos é melhor, tem mais time, mais ritmo e entrosamento. O Santos do Pelé de 1959 também era. Mas estamos falando de futebol e no futebol nem sempre o melhor é quem leva.

Dedos cruzados, terço pendurado no pescoço, manto vestido e em pensamento um pedido: honrem nossa camisa e nossa história. Devotos de São Marcos de Palestra Itália, estamos todos conectados. Cada um reservado nas suas crenças, nas superstições. O grito de campeão está entalado, o sangue fervendo. É amanhã.

É véspera de quarta feira, véspera do primeiro jogo da final, esgotamos ingressos em menos de 24 horas. A torcida faz sua parte, empurra o time e grita: Ô VAMOS GANHAR PORCO. O Palmeiras merece o titulo, sabemos da sua grandeza e para jogar aqui é preciso ter garra e acima de tudo respeito.

Uma música do O rappa resume o que queremos
" Eu quero ver gol, eu quero ver gol. Não precisa ser de placa. Eu quero ver gol "
Não queremos firulas, não precisamos de jogada ensaiada, queremos gritar gol como nunca. Estamos todos com medo de nadar e morrer na praia como no campeonato Paulista, cansamos de ser o time para o ano que vem.

É terça feira e estamos todos comendo as unhas e com medo do coração falhar na hora do jogo. Aguentem o tranco, estufem o peito e aguentem o peso da camisa alviverde. Não importa o que a imprensa diga, não importa quantas vezes ouvimos que o Santos é favorito. Nosso Palmeiras é GIGANTE.

Avanti Palestra.


O Santos é melhor. Eles chegam iguais à super decisão pelo regulamento. Mas o Santos tem mais time. Ganhou da gente lá na Vila, embora a gente também tenha dado o troco em casa. Tem um ataque poderosíssimo. Titulares de seleção brasileira do meio pra frente. A defesa vacila. Mas a nossa também... Temos jogadores de seleção também, mas são veteranos... Não sei não... Essa molecada deles é muito boa. E os caras mais velhos do elenco deles estão em ótima fase. O treinador deles é ótimo. O nosso também é um grande vencedor, mas, sei lá, não está acertando a mão - e o time, o pé.... Faz tempo que não ganhamos um torneio como esse. Quer dizer, não faz tanto tempo assim. Mas parecem séculos... Sei lá. A gente já fez grandes jogos este ano. Ganhamos grandes clássicos. Perdemos pontos em jogos estranhos. Ainda estamos montando nosso time. É equipe para dar mais liga no ano que vem. Chegar onde chegamos este ano já está bom. Mas só bom é pouco. Palmeiras é pra muito. Para muitos. O duro é que os caras são muito bons, e estão em grande fase. Não sei... Só sei que não podem dar o Palmeiras como morto. “Apequenado”. Esses que acham que somos só história são os que a ignoram. Estamos voltando a ser Palmeiras. O Santos pode ser o favorito. Acho mesmo que tem mais time. Mas os jogos nem começaram. A final vai ser em São Paulo. Não tem essa de gol qualificado. E muito menos essa de que o melhor time sempre vence. Até por isso ser futebol. E futebol brasileiro sempre será o Palmeiras. O Palestra Italia. Eles podem ter mais time. Mas esse time deles tem de ser ainda mais time contra a gente. Até pela nossa gente ser ainda mais Palmeiras na hora de ser campeão. Supercampeão.

Eu quero o título. Eu quero ser supercampeão. (Provável texto do meu pai Joelmir Beting no instagram dele em janeiro de 1960, antes das três partidas finais do Supercampeonato paulista de 1959, vencido pelo Palmeiras contra o Santos favorito de Pelé).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link do seu blog - créditos

Tema Base por Butlariz