21 de janeiro de 2017

Talvez você não se case com o amor da sua vida



Eu sei, uma afirmação dessa tira a gente um pouco dos trilhos. Eu acredito em grandes amores, mas vivo como se não.
Eu não tenho mais expectativas fúteis quanto aos romances. Não espero mais sentir aquela sensação de estar flutuando, de ter borboletas no estômago e de sentir que por alguns segundos meu sangue parou de circular. Tudo isso porque eu já tive um grande amor que me fez sentir tudo isso. Então sim, eu acredito em grandes amores.

Era um amor que consumia, uma sensação de que eu estava sendo tomada por um incêndio e todas as áreas da minha vida eram devastadas. O tipo de amor que inspirava textos, que era lembrado em músicas e fazia chorar ao assistir comédia romântica. Era poético, amor de verdade que superava a distância. O tipo “amor da sua vida”.
Vou declarar uma coisa que, em 2017 parece loucura, mas, eu acredito em almas gêmeas. E acho que a coisa funciona mais ou menos assim:
O universo conspirará para que você encontre o amor da sua vida. Você ficará com ele, dividirá sua vida, aprenderá infinitas coisas com ele, darás tudo de mais belo e puro que carrega dentro do peito, permitirá que ele te influencie e te faça mudar em aspectos que nem você imaginava ser capaz. Será uma das experiências mais incríveis da sua vida. Se tiver sorte, casará com ele.

Mas, ás vezes não somos capazes de mantê-los. Porque apesar de ser puro, sincero e profundo – tão profundo que te fará sentir dores físicas -, o amor não é capaz de conquistar tudo. Ele não triunfa sobre os vacilos do outro, não impede que o outro cruze o caminho de outras pessoas, que mude de planos, não molda o outro as nossas vontades e nem supera as diferenças. O amor não é tudo o que sustenta a relação.
Você quer morar na praia, ter dois filhos e uma carreira de sucesso. Ele quer conhecer o mundo, trocar de emprego quando não se sentir mais feliz. As vezes os sonhos de vocês não se encaixam. Nesse momento, você toma a maior atitude de amor que se pode ter: deixa o outro ir. Em alguns casos, você não tem escolha e quando perceber a pessoa já partiu.

Mas isso não faz desse amor menos amor que aqueles que triunfam até o altar. Algumas pessoas se amam mais em um mês que outras poderão se amar em cinquenta anos. E, apesar das coisas que esse amor não foi capaz de superar, não há nada que o desqualifique. Precisamos aceitar que apesar dos caminhos terem se divergido não há maneira de reescrever as memórias e lições que esse amor trouxe. Não há razão para sair em busca de um amor maior, melhor, mais forte e apaixonado que dure para o resto da vida só para preencher o espaço de amor da sua vida. Ao fim dessa jornada só nos resta a gratidão por ter sido capaz de sentir tantas coisas e aprendido outras mil.

Deixar o amor da sua vida partir não pode ser a tragédia da sua vida e no fim das contas pode até ser uma benção. Algumas pessoas nunca chegam a encontra-lo. 

5 de agosto de 2016

5 passos para aumentar a autoestima


Autoestima é a opinião e o sentimento que cada pessoa tem por si. É ser capaz de confiar, respeitar e gostar de si.
O melhor caminho para o autoconhecimento é o dialogo interno. Hoje eu trouxe 5 passos para aumentar sua autoestima e te ajudar a ser mais feliz.

No fim do post você encontra uma imagem com os 5 passos para compartilhar nas suas redes sociais e ajudar os amigos a serem mais gentis e felizes. Compartilhe essa ideia. ♥

1- Viva para si mesmo, não para o mundo.

As pessoas que não sabem amar a si mesmas buscam constantemente a aprovação alheia e sofre quando são rejeitadas. Para quebrar essa dinâmica, devemos admitir que não podemos satisfazer a todos.

2- Fuja das comparações.

Ela são uma importante causa de infelicidade. Muita gente tem qualidades e atributos que você não tem, mas você também possui virtudes que não estão presentes nos outros. Pare de olhar para os lados e trabalhe na construção do seu próprio destino.

3- Não busque a perfeição.

Nem nos outros nem em si mesmo, já que a perfeição não existe. O que existe é uma grande margem para melhorar.

4- Perdoe seus erros.

Especialmente os do passado, pois já não podem ser contornados nem têm qualquer utilidade. Aprenda com eles, para não repeti-los.

5- Pare de analisar.

Em vez de ficar pensando no que deu errado, é muito melhor agir, porque isso permite aperfeiçoar suas qualidades. Movimentar-se é sinal de vida e de evolução.



* Trecho retirado do livro Nietzsche para estressados, você encontra essas dicas e muito mais por lá.

Siga o blog em todas as redes sociais
No instagram ♥ | No facebook ♥ | No twitter ♥ |

20 de julho de 2016

Resenha: Miss you already || Já estou com saudades


Sinopse: Jess ( Drew Barrymore) e Milly (Toni Collete) são melhores amigas desde a infância. Enquanto Milly se casou, teve dois filhos e construiu uma carreira de sucesso, Jess decidiu levar uma vida pacata ao lado do marido Jago (Paddy Considine). Após se submeter a um tratamento, Jess enfim consegue engravidas.Mas a noticia vem justamente quando Milly descobre ter câncer de mama e precisa passar por quimioterapia, o que necessitará do apoio não apenas amiga, mas de toda a família.

★ ) Favorito 

Em primeiro lugar: Drew Barrymore e Catherine Hardwicke ♥. Dada essa informação, vamos prosseguir,


Era uma sexta feira de frio e solitária, por obra do destino - eu acredito nessas coisas, me julguem se quiserem- o primeiro filme da minha lista de indicações no Netflix era Miss you already. Havia sido uma semana complicada e um dos problemas era que minha relação com a minha melhor amiga estava ruindo.
Nos primeiros 19 minutos de filme eu já estava aos prantos - e, uma semana depois quando minha melhor amiga por fim também assistiu ao filme também chorou -.

Milly tem tudo: uma carreira de sucesso, um marido devotado e dois filhos lindos. Jess, por outro lado, trabalha numa hora comunitária. vive numa casa-barco com o marido e deseja desesperadamente ter um bebê. Amigas de infância as duas sempre dividiram todos os momentos, até namorados; suas diferenças são o que as mantém juntas.



Inicialmente o filme parece uma comédia, mas ai o enredo te pega, te prende e te faz entender o que está de fato acontecendo. 
Diferente dos filmes que bombaram nos últimos tempo, o filme retrata de outra maneira o câncer, as mudanças na vida da personagem e de todos os seu redor, as dificuldades e o egoismo (exagerado,as vezes) que toma conta da personagem. O diferencial é que neste filme não existe um super par romântico que ultrapassa as barreiras e algumas baboseiras exageradas e romantizadas e sim, duas amigas enfrentando problemas reais.


Eu gostaria de dar mais detalhes mas acabaria entregando o filme e spoiler não é a intenção aqui. Quando eu conto as pessoas que chorei com determinado filme, poucas me dão credibilidade porque sou capaz de chorar assistindo comercial de margarina - palavras da minha melhor amiga -, mas quando quem chora é minha melhor amiga, você pode acreditar que a história é FODA.

A amizade de Jess e Milly é intensa, verdadeira e despretensiosa. Claro que eu chorei um pouco a mais que a medida por ter reconhecido que tenho uma amiga como a do filme ♥. Prepare os lenços e bom filme.


Link do seu blog - créditos

Tema Base por Butlariz